Translate to your language

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Versículos biblicos

Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; como saber o caminho?
Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. João 14.5,6

A História das Velas


Há menções sobre velas nas escritas Bíblicas, datando do século 10 a.C. Um pouco mais recentemente, no ano 3.000 a.C., foram descobertas velas em forma de bastão no Egito e na Grécia. 

Outras fontes de pesquisa afirmam que, na Grécia, as velas eram usadas em comemorações feitas para Ártemis, a deusa da caça, reverenciada no 6° dia de cada mês, e representavam o luar. 

Na Idade Média as velas eram usadas em grandes salões, monastérios e igrejas. Nesta época, quando a fabricação de velas se estabeleceu como um comércio, a gordura animal (sebo) era o material mais comum então usado. 

Infelizmente, este material não era uma boa opção devido à fumaça e ao odor desagradável que sua queima gerava. Outro ingrediente comum, a cera das colmeias de abelhas, nunca foi suficiente para atender a demanda. 

Por muitos séculos as velas eram consideradas artigos de luxo na Europa. Elas eram feitas nas cidades, por artesãos, e eram compradas apenas por aqueles que podiam pagar um preço considerável. Feitas de cera ou sebo, estas velas eram depois colocadas em trabalhados castiçais de prata ou madeira. 

Mesmo sendo consideradas como artigos caros, o negócio das velas já despontava como uma indústria de futuro: em uma lista de impostos parisiense, no ano de 1292, eram listados 71 fabricantes. 

Na Inglaterra, os fabricantes de velas de cera eram considerados de melhor classe se comparados àqueles que fabricavam velas de sebo. O negócio tornou-se mais rentável porque as pessoas estavam aptas a pagar mais por uma vela de cera. Em 1462 os fabricantes Ingleses de velas de sebo foram incorporados e o comércio de velas de gordura animal foi regulamentado. 

No século 16 houve uma melhora no padrão de vida. Como passou a haver uma maior disponibilidade de castiçais e suportes para velas a preços mais acessíveis, estas passaram a ser vendidas por peso ou em grupos de oito, dez ou doze unidades. 

As velas eram usadas também na iluminação de teatros. Nesta época elas eram colocadas atrás de frascos pau-d'água colorida, com tons de azul ou âmbar. Apesar desta prática ser perigosa e cara para aquela época, as velas eram as únicas fontes de luz para ambientes internos. 

A qualidade da luz emitida por uma vela depende do tipo de material usado em seu fabrico. Velas feitas 
com cera de colmeia de abelhas, por exemplo, produzem uma chama mais brilhante que as velas de sebo. 
Outro material, derivado do óleo encontrado no esperma de baleias, passou a ser usado na época para aumentar o brilho das chamas. Devido a questões ambientais e ao desenvolvimento de novas tecnologias de iluminação, este elemento não é mais usado. 

Trabalhos para o estudo do oxigênio foram desenvolvidos observando-se a chama de uma vela. 
Como exemplo temos relatos feitos pelo químico amador Joseph Priestley, em agosto de 1774, que concluiu que se a chama de uma vela se tomava mais forte e viva na presença de oxigênio puro, reação semelhante deveria ser observada em pulmões adoentados quando estimulados com este mesmo oxigênio. 
O século 19 trouxe a introdução da iluminação a gás e também o desenvolvimento do maquinário destinado ao fabrico de velas, que passaram a estar disponíveis para os lares mais pobres. Para proteger a indústria, o governo Inglês proibiu que as velas fossem fabricadas em casa sem a posse de uma licença especial. 

Por:  Rev. José Roberto
Imagens: Internet-Google imagens

domingo, 19 de outubro de 2014

Jesus, o pastor das ovelhas de Deus



Amados, a palavra de Deus contida nas Escrituras Sagradas, no evangelho de João cap 10, trata de um assunto referente a Jesus, quando ensinava.
Certa vez Jesus passou a ensinar ao povo e disse que Ele era e continua sendo o Bom Pastor das ovelhas de Deus. Tais ovelhas são os crentes, ou os que passam a segui-lo convertendo-se-lhes a Ele.
Ele mesmo afirmou em alto e bom tom que todos os que passaram se dizendo que eram pastores, foram salteadores e falsos pastores. O pastor verdadeiro é aquele que dá a sua vida pelas suas ovelhas. Afirma que um falso pastor, as ovelhas fogem dele, porque conhecem se realmente é verdadeiro ou não. Diz ainda que o falso pastor ou mercenário, se faz que está defendendo o seu rebanho, mas quando ver o lobo vindo, as abandona e foge, deixando-as a mercê do lobo que as devora. Jesus fala que muitos falsos pastores aparecerem, mas as ovelhas não os seguiram. Diz com convicção que Ele é que é o Pastor Verdadeiro, que abre a porta e as ovelhas ouvindo a sua voz, entram no aprisco com segurança e Ele cuida delas, para que ninguém lhes possa fazer mal algum.
Ainda mais Jesus diz que Ele é a porta; se alguém entrar por ela, será salvo, porque passa a ser ovelha do aprisco em que Ele cuida. Ele diz com toda segurança, que ninguém arrebata nenhuma das ovelhas que lhe seguir. Jamais alguém poderá fazer-lhes algum mal, ou raptá-las porque só Ele é que pode dar a própria vida por elas. Jesus diz que ainda tem muitas ovelhas para segui-lo, no tempo certo, elas estarão lhe acompanhando para o lugar seguro, nas regiões celestiais como prometido. Ele diz que o Pai e ele são um único. Quem lhe vê, vê o Pai e vice-versa.
Diz que recebeu e lhe foi confiado todo o poder sobre todas as coisas, tanto para dar a sua vida, como para reavê-la de volta, e que essa autoridade lhe foi dada pelo Pai.
Jesus foi morto por causa de nós, pelos nossos pecados, nossas culpas; porque afirmava ser o próprio Deus. Porque Deus e Ele são um. E todos os defensores da lei de Moisés o chamavam de blasfemador, e por causa desse pecado foi acusado pelos homens, segundo a visão humana de que era pecado. Mas não se achou pecado algum sobre ele. E nem tampouco afirmar ser o próprio Deus era blasfêmia, porque realmente Ele é Deus.
Nós devemos manter nossa fé nEle, continuamente, sabendo que somos ovelhas suas, e que vivemos no seu aprisco e que Ele nos pastoreia de dia e de noite para que o lobo voraz (satanás)não nos devore.
Para que nos sintamos segurança, devemos nos entregar a Ele, obedecê-lo, e pela fé termos a certeza que habitaremos juntos no Reino celestial pelos séculos dos séculos em segurança. (João cap 10)

Por: Presb. Joseval Oliveira
Imaagem: Extraida da internet

QUEM É JESUS


Para o cego, Jesus é luz (Jo 8:12).
Para o faminto, Jesus é o pão.
Para o sedento, Jesus é a fonte.
Para o morto, Jesus é a vida (Jo 11:25).
Para o enfermo, Jesus é a cura.
Para o prisioneiro, Jesus é a liberdade (Jo 8:32).
Para o solitário, Jesus é o companheiro.
Para o mentiroso, Jesus é a Verdade (Jo 14.6).
Para o viajante, Jesus é o caminho (Jo 14.6)
Para o visitante, Jesus é a porta (Jo 10: 7,9).
Para o sábio, Jesus é a sabedoria.
Para a medicina, Jesus é o médico dos médicos.
Para o réu, Jesus é o advogado (1 Jo 2:1).
Para o advogado, Jesus é o juiz.
Para o juiz, Jesus é a justiça.
Para o cansado, Jesus é o alivio.
Para o medroso, Jesus é a coragem.
Para o agricultor, Jesus é a árvore que dá fruto (Jo 15:1).
Para o pedreiro, Jesus é a pedra principal.
Para o jardineiro, Jesus é a rosa de Sharn.
Para o floricultor, Jesus é o lírio dos vales.
Para o tristonho, Jesus é a alegria (Ne 8:10b).
Para o leitor, Jesus é a palavra (Hb 4:12).
Para o pobre, Jesus é o tesouro.
Para o devedor, Jesus é o perdão (1 Jo 1:9).
Para o aluno, Jesus é o MESTRE.
Para o professor, Jesus é o mestre.
Para o fraco, Jesus é a força.
Para o forte, Jesus é o vigor.
Para o inquilino, Jesus é a morada.
Para o incrédulo, Jesus é a prova (Sl 34:8).
Para o fugitivo, Jesus é o esconderijo (Sl 46:1).
Para o obstinado, Jesus é o conselheiro (Is 9:6).
Para o navegante, Jesus é o capitão.
Para a ovelha, Jesus é o bom pastor (Jo 10:18).
Para o holocausto, Jesus é o cordeiro (Jo 1:29).
Para o sábado, Jesus é o Senhor (Jo 5:17).
Para o astrônomo, Jesus é a estrela da manhã.
Para os magos, Jesus é a estrela do oriente.
Para o mundo, Jesus é o SALVADOR (Lc 19:10).
Para Judas, Jesus é inocente.
Para os demônios, Jesus é o santo de Deus.
Para o tempo, Jesus é o relógio de Deus.
Para o relógio, Jesus é a última hora.
Para Israel, Jesus é o Messias.
Para as nações, Jesus é o desejado.
Para a igreja, Jesus é o noivo amado (Ef 5:25).
Para o vencedor, Jesus é a coroa (Ap 2:10).
Para a gramática, Jesus é o verbo (Jo 1:1,14).
E PRA VOCÊ?
Para mim, Jesus é meu SALVADOR!

(Extraído e Adaptado) por Rev. José Roberto
Imagem: Internet

Pesquisar este blog

Carregando...
VEJA ABAIXO: POSTAGENS POPULARES

Israel (clic na imagem)