Translate to your language

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Curiosidades Bíblicas

 A palavra Bíblia vem do grego, através do latim, e significa: livros

 A Bíblia já foi traduzida por mais de 1500 línguas e dialetos.

 No ano de 1250 o cardeal Caro dividiu a Bíblia em capítulos, que foram divididos em versículos no ano de 1550, por Robert Stevens.

O Poder da Língua


Um casal muito simpático, com seus três lindos filhos, estudava em um seminário preparando-se para servir a Deus no ministério. Todos que os viam juntos concordavam que formavam um belo casal e, além do mais, eram muito talentosos, com personalidades carismáticas. 

A esposa amava tanto o seu marido que repetidas vezes ouviram-na dizer a seguinte frase: "Se for para perder meu marido para outra mulher, prefiro morrer antes". 

Os anos passaram, e já estavam exercendo um ministério pastoral, em determinada cidade. Infelizmente o marido começou a perder sua intimidade com Deus e estava se tomando frio espiritualmente. Com esse clima, ele se abriu à tentação e começou um caso com outra mulher. 

A sua traição à esposa foi descoberta, mas antes que ele tomasse a decisão se terminaria o casamento ou não, foi diagnosticado nela um tumor no cérebro, e a previsão dos médicos foi que teria pouco tempo de vida. 
Dito e feito! As palavras que tinha pronunciado tantas vezes tomaram-se realidade na sua vida. 

Literalmente ela não perdeu o marido para a outra mulher, pois morreu antes disso acontecer, exatamente do jeito que sempre tinha falado que desejaria que acontecesse. Ela descobriu, da forma errada, o tremendo poder que nossas palavras contêm. E o triste fato é que, quando pronunciava tais palavras de morte sobre si mesma, pensava que estava fazendo uma mera exclamação de apego ou afeto, sem efeitos reais. 

Milhões de pessoas ao redor do mundo cometem o mesmo erro todos os dias. Algumas vezes, a ponto de trazer a sua própria morte, como nessa história, enquanto em outras, trazem calamidade e desgraça, porém em um grau menor. Elas desconhecem o extraordinário poder que está nas suas próprias línguas e a força sobrenatural que liberamos pelas nossas palavras! 

Eu passei grande parte da minha vida sem descobrir essa verdade. Recém-ingressado no ministério, e ainda bastante jovem, comecei a fazer muitas viagens para lugares perigosos. Um dia, após o retomo da minha última viagem, encontrei meu pai, pastor desde antes do meu nascimento, e lhe disse: "Acho que vou morrer numa rajada de balas de metralhadora, em uma das minhas viagens". Eu já tinha feito essa mesma declaração a outras pessoas, pois angariava uma reação emocional que fazia com que eu me sentisse mais valorizado. 

Na minha inocência e ignorância desse princípio bíblico, estava abrindo a porta no mundo sobrenatural para que o inimigo me matasse exatamente assim. Tenho certeza absoluta que minha vida foi salva pela reação do meu pai. Ele me disse: "Filho, Deus lhe revelou isso ou você está falando da boca para fora? Se forem palavras meramente displicentes, então precisa quebrá-las, antes que abra uma porta para que se tomem realidade". 

Ainda não entendia bem esse princípio, mas aceitei a sua advertência, e logo quebrei o poder das minhas palavras - graças a Deus a tempo - antes que viessem a se cumprir. Eu disse: "Quebro o poder das minhas palavras sobre minha morte por uma rajada de balas de metralhadora. Vou viver até Jesus voltar, ou até a velhice, cumprindo o ministério que Deus me chamou a fazer, em nome de Jesus". 

(Trecho do livro "O poder da língua", 
de Gary Haynes) 
Imagem: Internet-Google imagens

Jesus, o Salvador dos humildes


Mateus 11. 25-30

Por aquele tempo, exclamou Jesus: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos.
Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.
Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma.
Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.

Fonte: Bíblia Sagrada
Imagem: Internet-Google imagens

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

É Pedro realmente a pedra sobre a qual a igreja está edificada?


Amados, certa vez ia Jesus caminhando com seus discípulos para os lados de Cesaréia e durante a caminhada dialogando com eles, perguntou-lhes acerca de quem o Filho do Homem era. 
- Quem diz o povo ser o Filho do Homem? Aí eles lhes responderam: algumas pessoas mestre, dizem que tu é João Batista; outras dizem que tu és o profeta Elias; outros dizem que és o profeta Jeremias, ou até mesmo um dos profetas que ensinaram!
- Jesus pergunta então a eles: E vocês? Acham que eu sou quem?
Simão Pedro, o que primeiro se apresentava em todas as situações, responde: Tu és o Cristo mestre! O Filho do Deus Vivo!
Jesus vira-se para ele e diz:  muito bem Simão Barjonas; bem-aventurado és, porque não foi carne nem sangue que te revelaram, mas meu Pai que te revelou; pois eu também te digo que tu te chamas Pedro, e sobre esta pedra, eu edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos céus, e o que ligares aqui na terra, terá sido ligado nos céus; e o que desligares aqui na terra, terá sido desligado nos céus. 
Logo em seguida, Jesus muda o diálogo e diz que é necessário ir para Jerusalém, e lá será entregue nas mãos das autoridades e será morto. Também Simão Pedro toma a frente e diz a Jesus que ele não deve fazer aquilo; não deve ir a Jerusalém em hipótese alguma.
Mas Jesus diz a Simão Pedro instantaneamente: Arreda de mim Satanás! Pois não cogitas das coisas de Deus e sim dos homens. (Mateus 16.13-23)
Nós observamos que em primeiro lugar a Palavra de Deus não pode agradar a homens, mesmo que sejam amigos chegados ou irmãos; mas deve ser pregada conforme está escrito, para agradar apenas a Deus.
Vemos que na primeira situação de diálogo, Jesus elogia Pedro e lhe diz que tinha sido Deus quem o revelou para dizer que Jesus era o Filho de Deus. E que também lhe dizia que ele se chamava Pedro, e sobre “esta”, pedra, ou seja, sobre esta “Palavra”, a qual estavam falando, ele Jesus edificaria a sua igreja. E que lhe daria autoridade, poder de assim como os demais, o que fizesse a respeito do reino de Deus, seria ratificado nos céus. Mas logo em seguida, Pedro é repreendido veementemente por Jesus, que o manda sair da sua presença, porque Satanás estava lhe interferindo para aconselhar a Jesus descumprir as Escrituras.
São duas situações diferentes: Quando se coloca o foco apenas em Deus, temos aprovação de Cristo e do próprio Deus. Quando tiramos o foco dEle, ficamos vulnerável a tentação para desobedecer a Cristo e a Deus. Neste caso não se pode estar diante de Deus, porque para se chegar mais perto dele devemos estar limpos de coração e mente. Vemos também que não existe nenhum relato que Simão Pedro se tornou Papa, até porque nessa época em Roma ainda não existia a figura de Papa. O mesmo Pedro, sabe-se que foi executado pelo próprio Império Romano crucificado de cabeça para baixo. 
Toda Escritura se refere a Cristo como o Cabeça da Igreja; cada servo seu compõe uma parte da árvore bem plantada que é Cristo. Cada servo seu compõe uma pedrinha da construção, rocha bem firmada que é Cristo. Cada servo seu compõe parte do corpo da igreja que é Cristo. Se Cristo morreu pelos que crêem; ressuscitaremos com ele e viveremos com Ele e para Ele, porque somos dos que crêem.
Devemos guardar as Palavras de Deus em nosso coração para não pecarmos nem nos distanciarmos dele, porque somente nele encontramos a verdadeira paz e segurança.
Louvado seja o nome de Cristo Jesus, porque sabemos que ele é o Filho do Deus Vivo que intercede por nós os que cremos.
Que a graça e a paz esteja sobre nós!

Por: Presb. Joseval Oliveira

Imagem: Internet


Pesquisar este blog

Carregando...
VEJA ABAIXO: POSTAGENS POPULARES

Israel (clic na imagem)