Translate to your language

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Jesus Sentou-se Nas Cinzas e Nos Tocou com Amor


Todos nós "precisamos" ser amados e admirados. Gostamos de ser chamados pelo nosso nome; de sermos lembrados. Receber elogios por pequenos atos, reconhecimento pela nossa pessoa, esforço etc.

A vida oferece muitas oportunidades de alcançarmos as pessoas com uma palavra, um gesto ou um toque ou uma manifestação de carinho.

Quantas pessoas passam pelas nossas vidas a cada dia, e não fazemos nada por elas.
Há em todos nós, em certas circunstâncias, uma necessidade de sermos aceitos fisicamente, de sermos tocados com carinho, de sermos beijados. Quanta gente sedenta por um carinho!

Durante a juventude a pele é agradável, saudável: os jovens sentem-se orgulhosos de seu corpo e não se envergonham de tocar e de serem tocados.
Mas e aquele senhor idoso, na solidão em que o deixou a esposa quando faleceu, ou os filhos ao estabelecerem suas próprias vidas?

E aquele enfermo, com a pele seca e rachada, tocadas apenas pelas mãos do médico, em caráter puramente profissional, técnico? Quem iria tocá-lo com carinho?
Jesus aproximou-se dos enfermos e tocou-os; suas mãos estiveram em contato com a lepra quando tocou leprosos que apenas eram tocados por outro leproso, se é que eram tocados.
Jesus foi até os que estavam sofrendo e disse: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coroação; e achareis descanso para vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve" (Mt. 11:28-30).
Ele se compadeceu de nós, tratou, cuidou e sarou nossas feridas e enfermidades. Sofreu as nossas dores. Deixou a glória e de estar ao lado do Pai para viver entre nós. Só para sentir o que sentimos e sofrer o que sofremos. Para fazer a vontade do Pai foi obediente até a morte e morte de cruz (Fp. 2:8).

O profeta lsaias, descrevendo o servo sofredor disse: "Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; ... Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados" (ls. 53:4-5).

Jesus sentou-se nas cinzas onde estávamos e tocou-nos com amor e carinho. O exemplo deixado por ele nos impulsiona a olhar o nosso semelhante com olhos de amor, compaixão e ternura, como o Senhor Jesus olhou para nós.

(Artigo Extraído e Adaptado Rev. José Roberto).
Imagem: Extraída da Internet- Google imagens

Apocalipse

Estudo No Livro Do Apocalipse

Os Aliados Do Dragão - 13:1-18

• Temos aqui os agentes ou ferramentas que são usados pelo diabo em seu ataque contra a Igreja, que são: a besta que emerge da terra; a besta que emerge do mar e a Babilônia;

A Besta Que Emerge Do Mar - 1-10

1. O mar representa as nações e os seus governantes - Is. 1 7: 12; Ap 17: 15 ;
2. A besta representa todo o poder perseguidor contra a Igreja;
3. É todo o domínio político que é sempre ágil, esmagador e destruidor, tal qual os animais aqui descritos - v.2;
4. Tem sete cabeças para significar que tem um governo mundial e representado de formas diferentes, nas diferentes épocas, representa todo o governo mundano, tirânico, usurpador contra a Igreja;
5. As atitudes da besta são blasfemas e violentas e os povos estão sob o seu comando;

A Besta Que Emerge Da Terra - Ap.13: 11-18

Temos aqui a religião anti cristã, que servirá de instrumento nas mãos do dragão para perseguir a verdadeira igreja de Cristo. "Esta besta tem dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão". Ela é uma imitação de Cristo - religião prostituída com finalidade maligna. A segunda besta era semelhante a um cordeiro, mas sua voz traía a aparência: ela falava como dragão.

Ela vem representada de cordeiro (símbolo do engano. Parecendo uma coisa boa), mas fala como dragão (suas ações irá desmascará-Ia) , isto é, ela é falsa, é hipócrita, é o falso profeta-Ap.16:13; 19:20;2Co. 1l:14;Mí. 7:15.

A segunda besta representa a religião a serviço do Dragão (Satanás). Pois, desta passagem em diante ela é chamada de falso profeta - Ap.16:13 ;20;10. A primeira besta incorpora o poder civil, inspirado por Satanás. A segunda representa o poder religioso, empregado para dar apoio ao poder civil.

"Exerce toda autoridade da primeira besta na sua presença".

Ambas as bestas trabalham em harmonia, é a igreja a serviço do estado para enganar as pessoas em prol dos objetivos do dragão - v.12. a segunda besta não entra em competição com a primeira, mas está a seu serviço.

Não tem poder próprio, mas recebe poder por sua união com a besta Seu único objetivo é captar a lealdade religiosa da humanidade para a primeira besta. Vale salientar ,que não foi só a cabeça da primeira besta que foi ferida e depois curada não, ela mesma teve sua vida restaurada.

"Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens".

O apóstolo Paulo havia dito que "o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem" (2 Ts.2:9-10). O importante é dizer que tanto o falso profeta como a besta, não representa meramente a religião formal, mas o verdadeiro poder de Satanás. Na religião pagã primitiva a magia tinha um papel importante e era muito usada para enganar os incrédulos (At.l3 :6; 16;16;19:13).

"Seduz o que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta 

O falso profeta não fará somente pseudo - milagres; ele terá poder para fazer descer fogo do céu. Parece que este fogo não é para destruir, mas somente para enganar os homens com supostos podres divinos, fazendo - os crer no que na realidade é poder do diabo. A expressão: "Os que habitam sobre a terra", é uma expressão que no Apocalipse é usada para os não convertidos. O falso profeta não conseguirá enganar os santos (Mc.13 :22).

Vrs.14b e 15: "Dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu, e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta ".

O poder de fazer imagens falar era algo bem conhecido no mundo antigo. "E lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta ... ". Observem, que o poder de dar vida, não emana do falso profeta: "lhe foi dado ... " . Ou seja, ele recebeu permissão do dragão para fazer isto. A vivificação aparente da imagem da besta é a maior reivindicação de poder divino: ser capaz de criar vida, como Deus. "Como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta". O conflito aqui não é entre religião e ateísmo ou entre religião e religião, mas entre Cristo e o Anticristo - entre Deus e satanás. Todos os que não têm os seus nomes escrito no Livro da Vida, adoraram a besta. E os santos, por não adorarem a besta, serão mortos.

16: "A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhe seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte". Os seguidores da besta recebem uma marca, que significa que a pessoa marcada está ao serviço do seu senhor, ela é uma escrava daquele que a marcou, no caso esta a serviço do Anticristo:

Na fronte ou na mão direita - Aqui não temos um sinal visível, literal, e sim uma simbologia. A besta tem sua marca, que é aplicada sobre a mão ou a testa daqueles que a adoram. Temos aqui dois grupos de pessoas: os que são selados por Deus e os que recebem a marca da besta. A marca da besta, talvez seja uma imitação da marca de Deus (o selo). A palavra "marca" era usada para sinal de propriedade em animais. Na antiguidade, os escravos eram marcados na testa, mas isso era sinal de servidão, não de lealdade. A marca da besta é sinal de fidelidade por parte dos que a recebem, identificando - os como adoradores da besta.

Fronte = mente, vida intelectual, isto é, a filosofia de uma pessoa.

Mão Direita = indica seus feitos, sua atividade, sua ocupação, sua indústria; assim temos que a pessoa marcada pertence à companhia daqueles que perseguem a Igreja; ou através daquilo que pensa e escreve ou através daquilo que faz.

17: "Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta, ou o número do seu nome". A marca da besta tinha utilidade religiosa e econômica. João prevê que a besta, com a ajuda do falso profeta, assumirá poderes totalitários, com controle completo de toda a política, religião e economia do mundo, com o objetivo de levar toda a humanidade a adorá - Ia.

18: "Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis".

O Número 666 - É o número do homem, pois ele foi feito no sexto dia; é o número da imperfeição; simboliza fracasso, errar o alvo, logo o número da besta representa, fracassos sobre fracassos. O que podemos dizer é que o número da besta é uma profecia de uma situação futura, ninguém ainda foi capaz de resolver o seu significado, mas quando vier a hora o significado será evidente.

Por Rev. José Roberto
Imagem: Internet-Google imagens


domingo, 25 de janeiro de 2015

Cristo superior ao sacerdócio da antiga aliança

Hebreus 5. 1-14

Porque todo sumo sacerdote, sendo tomado dentre os homens, é constituído nas coisas concernentes a Deus, a favor dos homens, para oferecer tanto dons como sacrifícios pelos pecados, e é capaz de condoer-se dos ignorantes e dos que erram, pois também ele mesmo está rodeado de fraquezas. E, por esta razão, deve oferecer sacrifícios pelos pecados, tanto do povo como de si mesmo. Ninguém, pois, toma esta honra para si mesmo, senão quando chamado por Deus, como aconteceu com Arão. Assim, também Cristo a si mesmo não se glorificou para se tornar sumo sacerdote, mas o glorificou aquele que lhe disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei; como em outro lugar também diz: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque. Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade, embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem, tendo sido nomeado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque. A esse respeito temos muitas coisas que dizer e difíceis de explicar, porquanto vos tendes tornado tardios em ouvir. Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal.

Fonte: Bíblia Sagrada

A Entrada no descanso de Deus pela fé

Hebreus 4.1-16

Temamos, portanto, que, sendo-nos deixada a promessa de entrar no descanso de Deus, suceda parecer que algum de vós tenha falhado. Porque também a nós foram anunciadas as boas-novas, como se deu com eles; mas a palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé naqueles que a ouviram. Nós, porém, que cremos, entramos no descanso, conforme Deus tem dito: Assim, jurei na minha ira: Não entrarão no meu descanso. Embora, certamente, as obras estivessem concluídas desde a fundação do mundo. Porque, em certo lugar, assim disse, no tocante ao sétimo dia: E descansou Deus, no sétimo dia, de todas as obras que fizera. E novamente, no mesmo lugar: Não entrarão no meu descanso. Visto, portanto, que resta entrarem alguns nele e que, por causa da desobediência, não entraram aqueles aos quais anteriormente foram anunciadas as boas-novas, de novo, determina certo dia, Hoje, falando por Davi, muito tempo depois, segundo antes fora declarado: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração. Ora, se Josué lhes houvesse dado descanso, não falaria, posteriormente, a respeito de outro dia. Portanto, resta um repouso para o povo de Deus. Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas. Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia, segundo o mesmo exemplo de desobediência. Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas. Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.

Fonte: Bíblia Sagrada

Pesquisar este blog

Carregando...
VEJA ABAIXO: POSTAGENS POPULARES

Israel (clic na imagem)