Divulgador de Cristo

Imagens em Movimento

3homens 3homens Natural

Divulgador de Cristo

Arrebatamento

Jesus Cristo

Fim dos tempos

Você sabia

versículos biblicos

Evangelização/Reflexão

Conhecendo as Escrituras

Anjos

Saiba quem é Jesus o Cristo

Salmos 23

O Lamento do Messias

Redes Sociais

Translate into your language

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

ESTUDOS BÍBLICOS


O LIVRE ARBÍTRIO

Pergunta: O Homem tem ou não Livre- Arbítrio?

O Homem Não Tem Livre - Arbítrio
Definição do termo: O homem  não possui a capacidade de escolher ser salvo ou não, nem mesmo escolher o bem ou o mal, uma vez que ele está morto em seus delitos e pecados (Ef 2:1). Não é o homem que escolhe a Deus, é Deus que o escolhe por meio da eleição incondicional, pela qual Deus escolhe alguns para a santidade e para a vida (Rm 3:9-18).

Argumentação Contra o Livre - Arbítrio.

A eleição por ser incondicional não está baseada em nenhum mérito ou virtude humana, nem mesmo na fé ou arrependimento; mas unicamente no amor e na misericórdia de Deus como expresssão da sua livre e soberana vontade (Rm 9:14-18). A fé e o arrependimento não são condição, mas resultado da eleição, o meio que Deus escolheu para aplicar a salvação aos eleitos (Rm 8:29,30). Deus não elege porque antevê arrependimento e fé. Ele produz arrependimento e fé porque nos elegeu (Ef 1:3-8).
Expressão Chave: O homem não pode escolher nenhum bem espiritual e nem tão pouco a salvalção em Cristo Jesus (Jo 5:40). A queda deixou o homem totalmente incapacitado para escolher no que diz respeito às questões espirituais. Sua mente está espiritualmente incapacitada; está impossibilitada de compreender as verdades espirituais. O homem no estado de morto espiritual não enxerga verdades espirituais, não houve a palavra da verdade (Jo 8:32,36) e não pode por conta própria responder positivamente ao chamado do evangelho.
Texto: Mt. 11:28-30: Cristo convida o pecador que, alcançado pela ação regenerativa do Espirito Santo(Jo 16:8-10), vai ao encontro do Senhor Jesus cristo, atendendo positivamente ao seu chamado (Jo 6:37). A verdade que está em Jesus Cristo (Jo 8:32;36), só tem sentido se realmente o pecador foi salvo mediante o lavar regenerador e renovador do Espirito Santo (Tt 3:5,6). Sem a ação do Espirito Santo agindo no coração do pecador ele não poderá arrepender-se de seus pecados e nem crer no evangelho, uma ,  vez que ele é escravo do pecado (Jo 8:34).

Questão de Lógica Quanto a Dizer Que o homem Não Tem Livre - Arbítrio:

Depois da queda o homem perdeu completamente o livre - arbítrio. Mesmo assim, ele continua completamente responsável pelos seus atos. Mas agora, em estado de pecado, a vontade do homem foi escravizada pelo pecado que o cegou, impedindo-o de discernir e consequentemente decidir positivamente, por sí mesmo,  em questões espirituais vitais para a salvação (Rm 8:5-10).
Pontos de convergência: O pecado é uma realidade (Rm 3:23). O salário do pecado diz Paulo é a morte (Rm 6:23); Adão pecou (Gn 3). Todos nós pecamos em Adão (Rm 5:12). Cristo morreu pelos nossos pecados e ressuscitou para a nossa justificação (Cl 2:13-15). Cristo se fez pecado por nós (Hb 4:14,15; 2Co 5:21).


Argumentação Lógica Pró e Contra O Livre - Arbítrio


Pró Livre - Arbítrio:
5 -Se o  homem não tem livre arbítrio como se explica sua escolha por Cristo(Jo 17:9-12). Pelo fato de termos escolhido a Cristo. Ele em sua Oração Sacerdotal pede e intercede ao Pai por nós. Notem, que Jesus, não pede por todos do mundo. Mas por aqueles que foram até Ele, arrependidos de seus pecados por terem escolhido ficar ao lado de Cristo.


6- Como Cristo poderia salvar o homem se este fosse até Ele (Cristo)? quem vai até Cristo, arrependido de seus pecados é o homem. Que pela fé que este deposita no Salvador, é salvo. O homem passa a contribuir para a sua salvação, por meio da fé que ele deposita na Pessoa de Cristo (Jo 5:24).


7- Cristo, nos libertou para sermos livre e termos a liberdade de escolha (Rm 8:1; Gl 5:1). É importante salientar, que não faria nenhum sentido esta liberdade em Cristo, se o homem não tivesse a liberdade de escolha. A escolha por uma profissão por exemplo. De uma cidade para morar, com quem casar, quantos filhos ter ou que nome dá a eles. Tudo isso depende das escolhas que fazemos (Gn 13:11; Ex 18:25; Dt 30:19; Js 24:15; Is 17:8; 2Sm 24:12; Sl 119:30; Fl 1:22)


8- A Bíblia nos diz que nós temos a mente de Cristo (1Co 2:16). Logo, se Cristo possuia livre - arbítrio, por estarmos Nele e termos a mente Dele, seria irracional sermos semelhantes a Cristo, e não termos livre-arbítrio como Ele tinha.


Contra O Livre - Arbitrio:
5- Depois da queda o homem não tem mais livre-arbitrio> Ele continua responsável pois o estado de pecado em que se encontra foi decorrente da livre decisão no Eden (Gn 3:6-8). No estado de pecado, a vontade do homem foi escravizada, pois o pecado o cegou, impedindo-o de discernir e consequentemente decidir positivamente, por sí mesmo, em questões espirituais vitais para a salvação.


6- A corrupção espiritual produzida pela queda foi tamanha que, no sentido espiritual, o homem está morto nos seus delitos e pecados (Ef 2:1). Segundo os calvinistas, o homem além da justificação, precisa também da vivificação. ele precisa primeiro ser regenerado pelo Espirito Santo, para então, depois de convencido do seu estado de pecado e arrependido, seja então iluminado para crer no evangelho da salvação.


7- A queda do homem foi realmente uma queda e não um tropeço, ou um escorregão sem maiores consequências ao homem. Por causa do pecado o homem tornou-se inimigo de Deus, e merecedor da ira divina (Ef 2:2,3). Se não fosse a graça de Deus sobre nós, e a obra redentora de Cristo e sua justiça em nós imputada, teriamos no momento da queda sido consumidos pela ira de Deus. Mas, Deus, sendo rico em misericórdia nos deu vida juntamente com Cristo  (Ef 2:4-6).


8- O arminianismo crê que a eleição é condicional. Ou seja, na eleição baseada na presciência de Deus. Isto quer dizer que, Deus, antes da fundação do mundo, escolheu aqueles  a quem se arrependeriam e creriam no evangelho por meio de sua força ou vontade. Segundo esta teoria Deus, só elegeria aqueles a quem por meio do arrependimento e da fé o elegeriam.