Divulgador de Cristo

Imagens em Movimento

3homens 3homens Natural

Divulgador de Cristo

Arrebatamento

Jesus Cristo

Fim dos tempos

Você sabia

versículos biblicos

Evangelização/Reflexão

Conhecendo as Escrituras

Anjos

Saiba quem é Jesus o Cristo

Salmos 23

O Lamento do Messias

Redes Sociais

Translate into your language

sexta-feira, 22 de abril de 2011

A CELEBRAÇÃO DA PÁSCOA


A celebração da páscoa na época antiga, da lei de Moisés, foi comemorada pelos judeus imolando um cordeiro e com seu sangue marcando as suas casas porque quando o anjo viesse matando todos os primogênitos, não ferir ninguem daquelas casas marcadas. Isso foi a décima praga sobre o Egito. Comemoração a saída de todos os judeus da escravidão, está narrado no Gênesis capitulo 12. O sacrifício de imolar um cordeiro, já significava o cordeiro de Deus, seu Filho Jesus que viria tirar o pecado do mundo. Muitos anos depois, quando Jesus veio, a ordenança da mesma havia-se encerrado. Sendo estabelecida a primeira ceia, pelo sacrifício vivo de Cristo em nosso favor, derramando seu sangue para remir de todo pecado. Jesus instituiu uma cerimônia memorial, A CEIA, em substituição à comemoração festiva da páscoa. No livro de Mateus Cap. 26.17-29 relata o seguinte:
“No primeiro dia da Festa dos Pães Asmos, vieram os discípulos a Jesus e lhe perguntaram: Onde queres que te façamos os preparativos para comeres a Páscoa? E ele lhes respondeu: Ide à cidade ter com certo homem e dizei-lhe: O Mestre manda dizer: O meu tempo está próximo; em tua casa celebrarei a Páscoa com os meus discípulos. E eles fizeram como Jesus lhes ordenara e prepararam a Páscoa. Chegada a tarde, pôs-se ele à mesa com os doze discípulos. E, enquanto comiam, declarou Jesus: Em verdade vos digo que um dentre vós me trairá. E eles, muitíssimo contristados, começaram um por um a perguntar-lhe: Porventura, sou eu, Senhor? E ele respondeu: O que mete comigo a mão no prato, esse me trairá. O Filho do Homem vai, como está escrito a seu respeito, mas ai daquele por intermédio de quem o Filho do Homem está sendo traído! Melhor lhe fora não haver nascido! Então, Judas, que o traía, perguntou: Acaso, sou eu, Mestre? Respondeu-lhe Jesus: Tu o disseste. Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. A seguir, tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue, o sangue da [nova] aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados. E digo-vos que, desta hora em diante, não beberei deste fruto da videira, até aquele dia em que o hei de beber, novo, convosco no reino de meu Pai.

Também no livro de I Coríntios 11:24-26 nos mostra a seguinte narrativa: Jesus tomou o pão, "e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim. Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha.

Vários símbolos nesta ceia merecem nossa especial atenção: “O ato de partir o pão, indicava os sofrimentos pelos quais Cristo havia de passar em nosso favor”. Muitos ainda pensam, que a expressão "isso é o meu corpo" signifique o pão e o vinho se transformassem realmente no corpo e no sangue de Cristo. Lembremo-nos portanto, que muitas vezes Cristo se referiu a si próprio dizendo "Eu Sou a porta" (João 10:7), "Eu sou o caminho" (João 14:6) e outros exemplos mais que a Bíblia apresenta. Isto esclarece, que o pão e o vinho não fermentado, são símbolos e representam o sacrifício de Cristo. Quando o cristão participa da cerimônia da ceia, ele está proclamando ao mundo sua fé no sacrifício expiatório de Cristo e em sua segunda vinda. Uma vez que Jesus declarou: "Não beberei deste fruto da videira, até aquele dia em que o hei de beber convosco no reino de Meu Pai." ( Mateus 26:29), como vimos anteriormente.

Portanto, a cerimônia da Santa-Ceia, que Jesus instituiu, que veio a substituir a cerimônia da Páscoa, traz muitos significados, dentre eles temos:

O significado do Lava-Pés, significa a humilhação de Cristo. Mostra a necessidade de purificar a nossa vida. Não é a purificação dos pés, mas de todo o ser, todo o nosso coração. Reconciliação com Deus Altíssimo, com o nosso próximo e conosco mesmo, não somos mais do que ninguém. O maior é aquele que serve... isso significa união, e não temos visto nos dias atuais. Temos observado as tentativas de satanás cada vez mais impulsionando para o afastamento e descumprimento do verdadeiro.

O significado da Ceia, significa a libertação do Pecado através do sacrifício de Cristo, comunhão com Ele. Significa esperar mais um pouco e estar em breve novamente reunidos por toda a eternidade no Reino de Deus, constante no capitulo 26 do livro de Mateus.
 
Por outro lado para os desconhecedores da Palavra de Deus, e adeptos do tradicionalismo e das vãs doutrinas, a páscoa significa: Comércio, idolatria a ídolos, e comemorações sem expressar o verdadeiro sentido ou reconhecimento pela morte de Cristo por nós.
Vejamos alguns exemplos:
A pascoa pode cair em qualquer domingo entre o período de 22 de março e 25 de abril. Sendo modernamente celebrada com ovos e coelhos de chocolate com muita alegria, ofertas e trocas.
O moderno ovo de páscoa apareceu por volta de 1828, quando a indústria de chocolate começou a desenvolver-se. Ovos gigantescos, super decorados, era a moda das décadas de 1920 e 1930. Porém, o maior ovo e o mais pesado que a história regista, ficou pronto no dia 9 de abril de 1992. É da Cidade de Vitória na Austrália. Tinha 7 metros e dez centímetros de altura e pesava 4 toneladas e 760 quilos. Mas o que é que tem a ver ovos e coelhos com a morte e ressurreição de Cristo?

A origem dos ovos e coelhos é antiga e cheia de lendas. Segundo alguns autores, os anglo-saxões teriam sido os primeiros a usar o coelho como símbolo da Páscoa. Outras fontes porém, o relacionam ao culto da fertilidade celebrado pelos babilônicos e depois transportado para o Egito. A partir do século VIII, foi introduzido nas festividades da páscoa um deus teuto-saxão, isto é, originário dos germanos e ingleses. Era um deus para representar a fertilidade e a luz. À figura do coelho juntou-se o ovo que é símbolo da própria vida. Embora aparentemente morto, o ovo contém uma vida que surge repentinamente; e este é o sentido para a Páscoa, após a morte, vem a ressurreição e a vida. A Igreja no século XVIII, adotou oficialmente o ovo como símbolo da ressurreição de Cristo. Assim foi santificado um uso originalmente pagão, e pilhas de ovos coloridos começaram a ser benzidos antes de sua distribuição aos fiéis.
Em 1215 na Alsácia, França, surgiu a lenda de que um dos coelhinhos da floresta foi o animal escolhido para levar um ninho cheio de ovos ao principezinho que estava doente. E ainda hoje se tem o hábito de presentear os amigos com ovos, na Páscoa. Não mais ovos de galinha, mas de chocolate. A ideia principal ressurreição, renovação da vida foi perdida de vista, mas os chocolates não, eles continuam sendo supostamente trazidos por um coelhinho...
O Peixe, foi símbolo adotado pelos primeiros cristãos. Em grego, a palavra peixe era um símbolo da confissão da fé, e significava: "Jesus Cristo, filho de Deus e Salvador." O costume de comer peixe na sexta-feira santa, está associado ao fato de Jesus ter repartido este alimento entre o povo faminto. Assim a tradição de não se comer carne com sangue derramado por Cristo em nosso favor.

Foi estabelecida no Concílio de Niceia, no ano de 325 de nossa era pelos religiosos Romanos. Ao adotar a Páscoa como uma de suas festas, a Igreja Católica, a maior instituição religiosa existente e predominante no mundo, inspirou-se primeiramente em motivos judaicos: a passagem pelo mar Vermelho, a viagem pelo deserto rumo a terra prometida, retirando a peregrinação ao Céu, o maná que exemplifica a Eucaristia, e muitos outros ritos, que aos poucos vão desaparecendo com o passar dos tempos. Inclui-se ai, as tradições de famílias a famílias caso não se apercebam e mudem segundo a luz das Escrituras.

Diante desses esclarecimentos; devemos ficar atentos para não sermos contaminados com coisas criadas pela imaginação humana, vindo a desvirtuar o verdadeiro sentido da páscoa instituída por Deus e seguida por Cristo na nossa era até sua vinda em breve.
Que o verdadeiro sentido da páscoa esteja em cada coração, na certeza que Deus está se agradando e Jesus ratificando o que disse, porque ele mesmo advertiu: "Em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens."(Mateus 15.9)
Que a graça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo, que vive e reina para todo o sempre, esteja em cada coração. Amem!

(Extraído e adaptado através de pesquisa na Internet-site Jesus Voltará) - Por Joseval Oliveira
Imagem: Joseval Oliveira