Divulgador de Cristo

Imagens em Movimento

3homens 3homens Natural

Divulgador de Cristo

Arrebatamento

Jesus Cristo

Fim dos tempos

Você sabia

versículos biblicos

Evangelização/Reflexão

Conhecendo as Escrituras

Anjos

Saiba quem é Jesus o Cristo

Salmos 23

O Lamento do Messias

Redes Sociais

Translate into your language

domingo, 4 de setembro de 2011

A ESTRUTURA DO EVANGELHO DE JOÃO


Apesar da grandiosidade do livro, a forma como João organizou sua narrativa é bastante simples, estando ao alcance de todos a compreensão de sua mensagem, porque é Palavra de Deus e porque o material foi disposto de forma a levar o leitor em direção a uma confissão de uma fé ativa em Cristo Jesus.

O Prólogo.

Já no início de seu Evangelho, João vai mais além de que todos os evangelistas, 1: 1-18. Ele usa o termo "Verbo" para caracterizar a divindade de Jesus, ressaltando a pessoa de Cristo, ainda na eternidade, com Deus.
Assim, em vez de tratar do nascimento de Jesus Cristo, como nos evangelhos de Mateus e Lucas, ele aborda sua encarnação (Jo. 1: 14). Com isso, João faz com que o assunto de seu Evangelho seja universal. Depois, o Evangelho pode ser dividido em quatro períodos:

1 - O Período de Reflexão: 1: 19 a 6: 71

Apresenta Jesus, o Verbo divino, e narra seus primeiros contatos com os discípulos. Utiliza a pregação de João e textos das Escrituras proféticas do A.T. para explicar sua missão.
Surgem, porém, as primeiras controvérsias com os judeus, principalmente por causa da cura de um paralítico, num sábado. Os milagres do cap. 6 levam os discípulos a uma entrega à fé.

2 - O Período de Conflito: caps. 7 a 11

No início de seu ministério houve séria descrença na missão de Jesus por parte dos judeus, 8: 22, 10: 19-20 e até pelos seus próprios irmãos, 7: 5.
Por isso, nessa fase Jesus ensinou intensamente sobre si mesmo, 7: 16-18, procurando revelar sua divindade. Os discípulos crescem na fé em seu mestre, principalmente quando vêem o milagre da cura de um cego de nascença, cap. 9, e a ressurreição de Lázaro, cap. 11.
O panorama religioso é marcado, por um lado, pelo contraste entre as multidões desnorteadas e a venenosa oposição da hierarquia judaica e, por outro, a pregação de Jesus.

3 - Período de Preparação: caps. 12 a 17

Depois, Jesus procurou estar longe das multidões, 12: 23 e 36. Nessa fase de recolhimento, dedicou-se mais aos discípulos, cap. 13. Precisava prepará - los para o choque da cruz.
No final desse período, Ele volta para Jerusalém, em busca do cumprimento de sua missão, 13: 1. Ocorre sua entrada triunfal, sendo saudado por uma multidão de peregrinos, 12: 20, 21.

4 - Período de Consumação: 18:1 a 20:31

Os momentos finais de Jesus foram marcados por violentas contradições: alguns manifestam total oposição e rejeição, outros profunda aproximação e aceitação. Nos degraus do caminho da cruz estão o Getsêmani, a traição de Judas, a covardia de Pilatos, a fraqueza de Pedro e a crucificação.
Mas também se vê a constância do discípulo amado e das mulheres, a ação generosa de José de Arimatéia e de Nicodemos, 19: 39. A ressurreição de Cristo foi àjustificação final da fé (Rm. 5:1).

(Pesquisa feita pelo Rev. José Roberto)
Imagem: Internet – Google Imagens