Divulgador de Cristo

Imagens em Movimento

3homens 3homens Natural

Divulgador de Cristo

Arrebatamento

Jesus Cristo

Fim dos tempos

Você sabia

versículos biblicos

Evangelização/Reflexão

Conhecendo as Escrituras

Anjos

Saiba quem é Jesus o Cristo

Salmos 23

O Lamento do Messias

Redes Sociais

Translate into your language

segunda-feira, 21 de maio de 2012

A idolatria e a depravação do homem

Amados leitores os textos abaixo que vamos acompanhar são da carta do apóstolo Paulo escrita aos romanos no ano 53 d.C. onde ele fala e prega sobre o ministério de Cristo Jesus, e o teor deles é a cerca da "idolatria e depravação pelo homerm": Paulo é aquele apóstolo que teve sua vida transformada por Cristo no caminho de Damasco. Paulo era um perseguidor do povo de Deus; perseguia, prendia e mandava para execução. Quem persegue o povo de Deus, persegue a Cristo diretamente; uma vez que Cristo habita no seu povo. Povos esses escolhidos, separados do mundo para unicamente servi-lo. Então Paulo de perseguidor passou a ser perseguido. Cristo fez com que ele se convertesse e passasse a trabalhar e ser um soldado do seu exercito.
Enfrentou feras humanas, passou por perseguições e sofrimentos por Cristo para ter a consciência que Deus é quem manda. Nem todos serão convertidos, mas aqueles que Deus quiser. Porque ou mais cedo ou mais tarde se revelarão seguidores de Cristo.
E nesses textos, Paulo escreve aos romanos advertindo-lhes que deixassem a vida errada de idolatrias e toda sorte de coisas desagradáveis acatados por seu império que se estendem até os dias atuais, tais como a parte que diz respeito a "idolatria". Paulo se reporta sobre as práticas sexuais ilícitas, a homossexualidade... e que após terem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável para praticarem coisas incovenientes.
Paulo fala a eles que ninguém tem o direito de dizer que não conhecia a lei de Deus, porque até os atributos de Deus denunciam a sua Grandeza e conhecimentos. E Afirma categoricamente que o “Justo viverá sempre pela fé”. Esse é o foco do seu ensinamento recebido pelo Espirito Santo como veremos a seguir:  

Por Joseval Oliveira


(Rm 1.18-32)
A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas.
Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis.
Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si; pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém!
Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro.
E, por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas inconvenientes, cheios de toda injustiça, malícia, avareza e maldade; possuídos de inveja, homicídio, contenda, dolo e malignidade; sendo difamadores, caluniadores, aborrecidos de Deus, insolentes, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais, insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia.
Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem.

Fonte: Bíblia Sagrada
Imagem: Internet- Google imagens