Divulgador de Cristo

Imagens em Movimento

3homens 3homens Natural

Divulgador de Cristo

Arrebatamento

Jesus Cristo

Fim dos tempos

Você sabia

versículos biblicos

Evangelização/Reflexão

Conhecendo as Escrituras

Anjos

Saiba quem é Jesus o Cristo

Salmos 23

O Lamento do Messias

Redes Sociais

Translate into your language

sábado, 17 de maio de 2014

Quem é Jesus Cristo?


Jesus Cristo foi um menino que nasceu, cresceu, tornou-se conhecido de todos, morreu, ressuscitou, subiu aos céus, e continua vivo.
Jesus o Cristo, na visão de muitos, foi um homem que viveu no meio do povo, e que era dotado de poderes sobrenaturais capazes de fazer com que as pessoas ficassem abismadas, maravilhadas e viessem a crer ou não, nos seus feitos.
Foi aquele que para muitos, tornou-se um agitador, revolucionário que pregava uma seita incitativa contra Roma e todo seu poderio.
Foi um homem que onde chegava angariava multidões ao seu lado, desafiava as leis do império com a verdade; confrontava o povo, desmascarava os hipócritas, e colocava a prova autoridades, e doutores da lei.
Foi um homem que era considerado o rei do povo judeu, e amedrontava todo império de Roma, a ponto das autoridades interrogá-lo para ver se realmente desejava tomar o poder, já que o povo o considerava rei.
Onde Jesus chegava, falava de forma que impressionava todos, e a primeira coisa que tocava era nas feridas espirituais de cada um, convocando-os a mudança de conceitos, em relação a alma. 
As pessoas indagavam, se ele não era o filho do carpinteiro de Nazaré, e como poderia ter adquirido tanto conhecimento e autoridade sobre todas as pessoas?
Jesus não tentava convencer ninguém a nada; as suas palavras e seu modo de falar e ensinar, fazia com que as pessoas fossem se acusando individualmente e revendo seus conceitos sobre seus procedimentos.
Onde ele chegava, participava de momentos alegres, festivos, tristes e compartilhava junto com as pessoas conforme o momento em que estavam vivendo naquele instante. Não se contaminava com as coisas deles, nem cometia pecados. Também se preocupava muito com o lado humano, e resolvia toda e qualquer situação desagradável que o povo estivesse passando, e fossem a ele, por exemplo: angústias, calamidades, enfermidades, fome, dor, medo, sofrimento, curas, e ainda trazia mortos à vida, ressuscitando-os diante de todos. Era um homem perfeito, sem igual a ninguém na terra. Pregava o amor, abominava o ódio, a mentira; toda e qualquer coisa que fosse contrária aos preceitos de Deus. Se intitulava Filho do Altíssimo, onde chocava uma grande maioria, que achavam que ninguém poderia afirmar tal coisa, sob pena de cometer blasfêmia contra Deus. Porque no seu tempo esperavam o Messias, Filho de Deus chegar para que, de forma autoritária, e com grande poder sobre todos demonstrar sua autoridade e domínio.
Foi considerado um profeta de Deus no meio do povo e ainda hoje é chamado de profeta, e não o Filho de Deus, por várias nações, inclusive em seu próprio país.
Até os de sua casa, não lhe tributavam poder, e o mandaram ir pregar para pessoas de outras regiões, menos lá onde moravam.
Certa vez ele andando com seus discípulos lhes perguntou o que o povo pensava dele, e quem achavam ser ele?
O historiador dos Hebreus Flávio Josefo escreveu pequena narração a seu respeito onde diz que era um homem que fazia grandes milagres; ou melhor, se é que se poderia chamá-lo de homem, tal sua diferença entre os demais. 
Mas por outro lado, existiam muitos que diante de seus feitos, criam em sua doutrina, se convertiam e eram salvos da condenação eterna, conforme seus ensinamentos.
O próprio médico Lucas, fez uma acurada investigação a seu respeito para entregar a um homem de patente elevada chamado Teófilo; tamanha era sua fama e poder diferenciado entre todos.
Essa é a visão humana a seu respeito. Mas segundo as Escrituras, a regra de fé e prática de muitos que serão salvos mediante a graça de Deus por meio da fé nele Cristo, ele é muito mais que isso tudo que foi mencionado. Ele é o próprio Deus feito carne e habitado no meio do povo, para que salvasse muitos de seus pecados. O Antigo Testamento narra as promessas de Deus por meio dos profetas, e pessoas escolhidas a seu respeito, onde Deus diz que no seu tempo enviaria o seu escolhido; aquele que regeria as nações com mão forte e colocaria todos os poderes debaixo de seus pés. Está escrito nos Salmos a seu respeito, nos profetas e na Lei.
Todos os que conheciam a Lei, sabiam que o Messias viria de Belém.
Foi anunciado quando do seu nascimento, a notícia se espalhou rapidamente e chegou aos ouvidos de Herodes, que ficou preocupado, iniciando já a perseguição.
Veio João Batista enviado de Deus para dizer que Ele já estava no mundo, e que todos deveriam ir a ele para que fossem salvos. Todos os habitantes da Judeia, Nazaré, Belém e regiões vizinhas tinham conhecimento a seu respeito. Todos os anos iam em caravanas a Jerusalém adorar a Deus no Templo, e Jesus ia também. Aos doze anos ficou para trás em uma das vezes que foram adorar, entrou no Templo e pôs a prova os doutores da lei, que ficaram abismados, como poderia um garoto ter tanto conhecimento como Ele. Iniciou seu ministério, efetuando milagres; transformou de uma só vez, água em vinho bom e puro para todos de uma festa de casamento em Caná da Galileia. 
Fez coisas incríveis para que o povo cresse, uma vez que eram de coração duro feito pedras.
Contrariou muitos porque não entendiam ter ele vindo dos céus e teria que voltar para lá novamente; o entregaram para ser morto; só assim poderiam calar aquela voz. Mas após três dias ressuscitou dos mortos e voltou a vida; poder e domínio que anteriormente já tinha aplicado a pessoas. Passou ainda cerca de 40 dias com o povo; foi visto por mais de 500 pessoas; aparecia em lugares fechados e confortava seus seguidores apóstolos perseguidos por causa de sua doutrina. 
Ministrou as considerações e justes finais e no meio de muitos, elevou-se as alturas, desaparecendo numa nuvem, para em breve; não se sabe quando, voltar novamente até certa altura dos ares, e resgatar com seus anjos aqueles seguidores que estiverem vivos em tal momento, para encontrarem-se com os que já estão nos céus, e juntos participarem do banquete final eternamente.
Após sua ressurreição, os apóstolos e demais pessoas que o conheceram, movidos pela vontade de Deus testificaram em Livros a seu respeito; para que as pessoas possam crer verdadeiramente que ele é o Cristo prometido na antiguidade e que é o Juiz de todos.
Julgará o mundo e viverá de eternidade a eternidade com os que forem salvos.
Louvado seja o nome de Cristo, segundo a graça de Deus nosso Pai, que nos comprou mediante seu sangue que foi derramado na cruz pelos que creem!

Por  Diác. Joseval Oliveira
Imagem: Internet-Google imagens