Divulgador de Cristo

Imagens em Movimento

3homens 3homens Natural

Divulgador de Cristo

Arrebatamento

Jesus Cristo

Fim dos tempos

Você sabia

versículos biblicos

Evangelização/Reflexão

Conhecendo as Escrituras

Anjos

Saiba quem é Jesus o Cristo

Salmos 23

O Lamento do Messias

Redes Sociais

Translate into your language

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

A Carta à Igreja em Pérgamo (parte 2)


(Apocalipse. 2:12-17 ) 

A Doutrina de Balaão 

A descrição da doutrina de Balaão refere-se à história do Velho Testamento (Números 22-25; 31:16). No final dos 40 anos de peregrinação, os israelitas chegaram perto da terra prometida. Acamparam-se nas campinas de Moabe, e os moabitas e midianitas ficaram amedrontados. Balaque chamou Balaão, um profeta mercenário, para amaldiçoar o povo, mas Deus frustrou todas as suas tentativas de falar contra os israelitas. 
Balaão desistiu de suas maldições, mas procurou outra maneira de vencer o povo de Israel. Deu um conselho ao rei Balaque, que convidasse os israelitas para participarem de uma festa idólatra. Nesta festa, muitos israelitas se envolveram na idolatria e na imoralidade, e Deus mandou uma praga que matou 24.000 israelitas. 
Na igreja em Pérgamo, algumas pessoas agiam como Balaão. Incentivavam o povo a tolerar outras religiões, até participando da idolatria e da prostituição. A sua doutrina foi basicamente igual às ideias atuais de pluralismo (aceitação de diversas religiões como igualmente boas) e sincretismo (juntando duas ou mais religiões). 

A Doutrina Dos Nicolaítas 

A Bíblia não identifica esta doutrina. Mas, diz que Jesus odiava as obras dos nicolaítas e elogia os efésios por rejeitar esses ensinamentos (2:6). Infelizmente, a igreja em Pérgamo tolerava esses falsos mestres. 
Os nicolaítas provavelmente vieram de um certo Nicolau, que fora um diácono da igreja primitiva, que havia se desviado dos caminhos do Senhor Jesus Cristo. 

Portanto, Arrepende-te. 

O arrependimento exigido é da igreja, pois ela tolerava esses falsos mestres. Os professores das doutrinas de Balaão e dos nicolaítas precisariam se arrepender, também, ou serem rejeitados (veja Romanos 16:17-18; Tito 3:10-11). 

Uma igreja que tolera falsos professores e falsos mestres se torna cúmplice do pecado. Se ela não se arrepender, Jesus usará a espada de dois gumes (2: 12; 1: 16) para trazer seu castigo sobre ela. 

Quem Tem Ouvidos, Ouça 

Como em todas as sete cartas, Jesus chama os ouvintes a darem a atenção devida a sua palavra. Ao vencedor (17): Todas as cartas, também, incluem a promessa sobre a vitória. Aqueles que persistem até o final receberão a recompensa. Nesta carta, a bênção para o vencedor é descrita em duas partes: 

O Maná Escondido: Aqueles que recusaram qualquer participação na mesa dos demônios seriam sustentados pelo maná de Deus. Jesus é o maná dado pelo Pai (veja João 6:31-65). Ele sustenta os fiéis e lhes dá vida. A mensagem de Jesus continua oculta para os sábios deste mundo (veja 1 Corintios 2:6-10). 

Uma Pedrinha Branca Com Um Nome Novo Escrito: Um nome novo, frequentemente, sugeria uma nova direção na vida, especialmente de uma pessoa abençoada por Deus (exemplos: Abrão > Abraão; Sarai >  Sara; Jacó> Israel). Em lsaias 62:2-4, Desamparada e Desolada recebem nomes novos: Minha Delícia e Desposada, mostrando a bênção de estar com Deus. Veja, também, 3:12. 

A Pedrinha Branca: pode incluir vários significados, conforme os costumes da época. Pedras brancas foram usadas para indicar a inocência de pessoas acusadas de crimes; Jesus inocenta os seus seguidores fiéis. Pedras brancas foram dadas a escravos libertados para mostrar sua cidadania; os fiéis não são mais escravos do pecado, pois se tomaram cidadãos da pátria celestial (Filipenses 3 :20). 

Por: Rev. José Roberto
Imagem: Internet-Google imagens