Divulgador de Cristo

Imagens em Movimento

3homens 3homens Natural

Divulgador de Cristo

Arrebatamento

Jesus Cristo

Fim dos tempos

Você sabia

versículos biblicos

Evangelização/Reflexão

Conhecendo as Escrituras

Anjos

Saiba quem é Jesus o Cristo

Salmos 23

O Lamento do Messias

Redes Sociais

Translate into your language

sábado, 7 de fevereiro de 2015

A Carta à Igreja em Pérgamo



(Apocalipse  2:12-17) 

Por todos os lados, os vizinhos da Igreja de Pérgamo praticavam idolatria e davam honra aos governantes romanos. Os cristãos não abandonaram a verdade do Senhor, o único verdadeiro Soberano. Mas, tanta influência de falsas doutrinas teve um impacto negativo na igreja, poluindo a congregação com doutrinas falsas que incentivavam os irmãos a praticarem idolatria e imoralidade. Jesus chama a igreja ao arrependimento para evitar o castigo divino. 

A Igreja em Pérgamo 

O único livro do Novo Testamento que cita a cidade ou a igreja em Pérgamo é o Apocalipse. Com a 
ajuda dos romanos, Pérgamo ganhou independência dos selêucidas em 190 a.C , e passou a fazer parte do império romano a partir de 133 a.C. Durante mais de 200 anos, foi a capital da província romana da Ásia. Teve a maior biblioteca fora de Alexandria, Egito. Foi o povo de Pérgamo que começou a usar peles de animais para fazer pergaminho, substituindo o papiro. 

Espada Afiada de Dois Gumes 

A espada representa autoridade e o poder para julgar e castigar. É Jesus, e não o governo romano, que segura esta escada (At. 1: 16), 

Lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás. 

Os cristãos em Pérgamo eram vizinhos do diabo! Jesus, sempre vigiando para ajudar o seu povo, sabia muito bem da circunstância difícil naquela cidade. Desde 29 a.C., foi o local de um templo dedicado a Roma e Augusto (idolatria oficial do governo romano). Mais tarde, foram erigidos outros templos para a honra dos imperadores Trajano e Severo. 

Além desses templos para o culto imperial, o povo de Pérgamo adorava outros "deuses", tais como Zeus, Atena, Dionísio e Asclépio. Encontramos em Pérgamo uma mistura dos poderes do mal - religiões falsas e o poder oficial do governo romano. Enquanto seus vizinhos sacrificavam aos demônios (veja 1 Coríntios 10: 19-20), os discípulos de Cristo reconheciam o único Deus como Senhor. 

Não Negaste a Minha Fé, Ainda Nos Dias de Antipas. 

Jesus elogia a perseverança dos cristãos de Pérgamo, que foram fiéis à fé de Jesus, mesmo sob perseguição intensa. A Minha Fé (a fé de Jesus) é a palavra de Cristo revelada aos homens (veja Judas 3). 

Antipas é mencionado somente aqui. 
Evidentemente foi um mártir, provavelmente da própria congregação em Pérgamo. Foi morto entre eles, na cidade onde Satanás habitava. Antipas se mostrou fiel até a morte (veja 2:10). Testemunha vem da palavra grega martus. É a mesma palavra usada para descrever Jesus em Ap.1 :5. 

Com tempo, passou a ser usada para identificar pessoas que morreram por seu testemunho de fé, e assim usamos a palavra mártir. 

Tenho, todavia, contra ti algumas coisas (14): 

Apesar da perseverança dos cristãos em Pérgamo, havia problemas graves ameaçando o bem-estar da congregação. Eles se mostraram tolerantes em relação a falsas doutrinas, e especificam dois erros citados nesta carta.

Por: Rev. José Roberto
Imagem: Internet-Google imagens