Divulgador de Cristo

Imagens em Movimento

3homens 3homens Natural

Divulgador de Cristo

Arrebatamento

Jesus Cristo

Fim dos tempos

Você sabia

versículos biblicos

Evangelização/Reflexão

Conhecendo as Escrituras

Anjos

Saiba quem é Jesus o Cristo

Salmos 23

O Lamento do Messias

Redes Sociais

Translate into your language

sábado, 30 de maio de 2015

“Vamos marchar para libertar Jerusalém”, diz premiê turco



"Pela vontade de Alá, Jerusalém pertence aos curdos, turcos, árabes e a todos os muçulmanos", declarou Davutoglu.

Durante a inauguração de um aeroporto na província de Hakkari, o primeiro-ministro Ahmet Davutoglu e o presidente Recep Tayyip Erdogan pediram o restabelecimento do Império Otomano. A Turquia era a sede deste governo até 1924.
O nome do aeroporto é Selahaddin Eyyubi, uma homenagem ao sultão Saladino, da dinastia Aiubi. Esse governante muçulmano de origem curda que conquistou Jerusalém e foi um grande inimigo dos cruzados cristãos, especialmente o rei inglês Ricardo Coração de Leão.
Durante a cerimônia, os dois líderes turcos falaram abertamente de seu desejo de conquistar Jerusalém e restabelecer o Império Otomano, também chamado de Turco-Otomano.
“Pela vontade de Deus, Jerusalém pertence aos curdos, turcos, árabes e a todos os muçulmanos”, declarou Davutoglu.
“Assim como os nossos antepassados​ ​foram juntos com Saladino para libertar Jerusalém, iremos marchar sobre o mesmo caminho para libertar Jerusalém. O governo turco não diferencia de leste a oeste. Temos a intenção de reunir todos os territórios de nossas nações e vamos reunificar estas regiões”.
O discurso de Erdogan foi ainda mais enfático. Ele afirmou ter o mesmo espírito de Saladino, e irá expulsar de Jerusalém a quem ele considera os cruzados modernos, unificando o mundo muçulmano.
“Estou certo de que o grande comandante Saladino está reunindo todos os povos do Oriente Médio em um exército que derrotou os cruzados. Saladino está testemunhando o que estamos fazendo aqui espiritualmente. Eu estava em sua presença espiritual e dirijo-me a ele aqui em Hakkari com os homens poderosos da Turquia.”
“Jerusalém não é para os cruzados…  Alá testemunha isso. Um povo, uma bandeira, uma nação e um Estado! Jerusalém é para os muçulmanos e não para Israel”, enfatizou Erdogan.
“Por que deveríamos continuar a ser amigos com aqueles que pisaram com suas botas no Monte do Templo? Eles insistem que temos de ser amigos? Eu digo, não seremos”, finalizou.
O Império Otomano durou de 1299 a 1917. Ele manteve Israel como um território conquistado a partir de 1516. Com sede na atual Istambul, os otomanos não tinham origem árabes, mas foram responsáveis pela consolidação da fé islâmica em seus domínios. O sultão otomano também era chamado de “Califa do Islã”, pois reunia poder político e religioso.
No seu ápice, os otomanos dominavam o sudoeste da Europa, todo o Oriente Médio, o norte da África e chegando até o sul da Rússia. Após sua derrota na Primeira Guerra Mundial (1914-1918), o governo otomano viu seu território ser partilhado, sendo extinto oficialmente em 1924.
Não é a primeira vez que o governo turco tenta “ressuscitar” o conceito que será sede de um novo Império. Estudantes das profecias geralmente apontam a Turquia como o centro da união de nações que se unirá contra Israel na guerra de Gogue e Magogue. Desde que assumiu o poder, Erdogan tem mantido relações próximas com Rússia e Irã, países que também representam ameaças ao Israel moderno. Com informações de Jerusalem Online.

Fonte: Jarbas Aragão - http://noticias.gospelprime.com.br/marchar-libertar-jerusalem-imperio-otomano/
Imagem: http://noticias.gospelprime.com.br/marchar-libertar-jerusalem-imperio-otomano/