Divulgador de Cristo

Imagens em Movimento

3homens 3homens Natural

Divulgador de Cristo

Arrebatamento

Jesus Cristo

Fim dos tempos

Você sabia

versículos biblicos

Evangelização/Reflexão

Conhecendo as Escrituras

Anjos

Saiba quem é Jesus o Cristo

Salmos 23

O Lamento do Messias

Redes Sociais

Translate into your language

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Mega igreja ou. igreja saudável?



"Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto. " • Apocalipse 3:1 b a
Algo que tem nos incomodado bastante, nos últimos dias, é o crescimento de algumas Igrejas, as quais tem assumido um papel de destaque na mídia ­ e somente na mídia, para ser mais exato - sendo
tratadas como mega igrejas. Incomoda-me, não por despertar o sentimento pecaminoso da inveja, mas o de preocupação, afinal de contas, apesar de lotados, os templos estão cheios, na sua maior parte, de pessoas vazias. Conversando com algumas dessas pessoas, facilmente ouviremos jargões, frases populares, típicas do evangelicalismo brasileiro, tais como: "tá amarrado', "eu profetizo', "eu determino', "eu declaro”, "tome posse da bênção", entre outras que, ao invés de revelar uma pessoa com o caráter de Cristo - humildade, submissão à vontade e consagração plena a Deus, levando todos a louvarem o nome do Senhor - , tais pessoas se revelam arrogantes, principalmente quando exigem essa, ou aquela, bênção de Deus.
Meditando no livro do Apocalipse, deparamo-nos com o texto que destacamos. Sardes, uma das
igrejas da Ásia Menor, por muitos anos foi imponente, mas que, recebeu do próprio Cristo, o testemunho de que não passava de mera aparência. Aquela igreja que parece ser próspera estava, diante de Deus, morta. "Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto".
Esta queixa se revela como terrível, visto que a igreja, exteriormente, revelava grande atividade,
mas por dentro não tinha nenhuma espiritualidade.
A organização era perfeita e tudo se movimentava no seu devido tempo. Dava a impressão de ter ,
modelo ideal, mas não tinha uma vida real. A igreja tinha nome de viva, mas Aquele que a tudo
conhece, afirmava que ela estava morta. Sardes precisava ser tocada pelo poder vivificador de
Deus. Cristo não encontrara nenhuma obra perfeita aos olhos de Deus. Ela gozava de bom nome entre os homens, de igreja de boas obras, mas j não julga com os olhos do homem, e sim, com os de
Deus. As chamadas "mega igrejas", podem até ser imponentes e encherem os olhos de quem as visite, levando a pensar que são vivas e cheias do poder de Deus. No entanto, espiritualmente falando estão doentes, mergulhadas em uma pseudo-espiritualidade que não agrada a Deus e, por que não dizer, mortas.
Uma Igreja saudável, que vive o Evangelho que foi ensinado por Jesus, não é aquela que nas
suas programações conseguem arrebanhar milhares. de pessoas. Desde a Reforma Protestante, uma Igreja que permanece fiel ao ensino dos Apóstolos tem como foco a Pregação Cristocêntrica, ou seja, a mensagem é para anunciar a Cristo e Sua obra redentora e salvífica para o pecador eleito; ministração fiel dos Sacramentos - santa ceia e batismo - únicas ordenanças do Senhor Jesus para os seus discípulos (cf. Mateus 26:26-29, Mateus 28:19-20); aplicação da disciplina eclesiástica, com vistas a restauração de irmãos faltosos.
Ora, olhando para as megaigrejas de nossos dias, perturba-nos a ausência desses elementos que são cruciais, desde os nossos pais apostólicos. Quando olhamos a Escritura no livro de Atos, veremos que os crentes de então "perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e
nas orações. Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade.
Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração". (Cf. Atos 2:42-46).
Uma igreja, para ser vista e percebida como viva, não precisa de realizar programações com personalidades famosas, tampouco montar cenários agradáveis ao aconchego humano. Uma igreja, para ser viva precisa, apenas, cumprir os preceitos de Jesus Cristo e permanecer fiel ao Verdadeiro Senhor, em toda e qualquer situação. Fazendo isso, facilmente contará "com a simpatia de todo o
povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos." (Cf. Atos 2.47).
Que o Senhor nos abençoe e nos faça crentes vivos, de uma Igreja Viva e que, diariamente, demonstra a presença Santa e Verdadeira do Senhor Jesus Cristo, brilhando através de nós.
Que o Eterno nos abençoe e nos guarde!!
Por  Pr. Josielson Lira Matos