Divulgador de Cristo

Imagens em Movimento

3homens 3homens Natural

Divulgador de Cristo

Arrebatamento

Jesus Cristo

Fim dos tempos

Você sabia

versículos biblicos

Evangelização/Reflexão

Conhecendo as Escrituras

Anjos

Saiba quem é Jesus o Cristo

Salmos 23

O Lamento do Messias

Redes Sociais

Translate into your language

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Jesus ressuscita seu amigo Lázaro



Certa vez quando Jesus ministrava seus ensinamentos para o povo chegou-lhe uma noticia não muito agradável principalmente para o povo. É que tinha falecido seu amigo Lázaro irmão de Marta e Maria da cidade de Betânia.
Vieram chamá-lo porque diziam-lhe que Lázaro seu amigo estava muito doente e corria o risco de morte; mas Jesus lhes disse que aquela enfermidade não era para levá-lo a morte, mas para que o Filho de Deus fosse glorificado por ela nele Lázaro.
Então Jesus não se apressando, demorou ainda
dois dias a pregar e ministrar ensinamentos ao povo de outros lugares.
Quando Jesus se dirige para a aldeia de Betânia, recebe a noticia que Lázaro já tinha morrido; aos olhos humanos de muitos era tarde demais. Nada se podia fazer; é como se Jesus fosse o culpado, porque foi avisado e nada fez.
Estava naquele lugar um desespero total, todo mundo chorando e se lamentando pois Lázaro era muito querido.
As irmãs dele queixaram-se dizendo que se Jesus tivesse lá ou ido, não teria deixado acontecer sua morte, mas como tudo que ele pedia a Deus Pai lhe era concedido, tinham certeza que seu irmão poderia voltar, mas no dia da ressurreição, como todos os demais.
Choraram muito aos pés de Jesus, juntamente com as pessoas e Ele comovido com aquela situação pergunta onde o colocaram?
Apontaram-lhe o lugar mas como já fazia quatro dias, já estava com mal cheiro.
Jesus ordena que a pedra fosse retirada. Ao fazem, Jesus chama Lázaro para fora; e logo em seguida ele vem todo enfaixado, onde lhe retiraram as vestes mortais e foi grande alegria por Jesus chamar a sua alma de volta ao seu corpo.
Semelhantemente acontece conosco; falta de fé, pouca ou nenhuma comunhão com Deus e tampouco com Cristo.
Não devemos ser descrentes nem frios na fé; devemos entregar as nossas impossibilidades a Deus e esperar em orações e suplicas com ações de graças para que sua vontade seja feita e que possamos receber os resultados esperados.
Devemos crer em Jesus porque Ele é a ressurreição e a Vida Eterna. Ninguém morre estando nele, porque ele não é Deus de  mortos; mas de vivos!
Eis o relato real da obra realizada por Jesus em seu amado Lázaro.


Estava, porém, enfermo um certo Lázaro, de Betânia, aldeia de Maria e de sua irmã Marta.
E Maria era aquela que tinha ungido o Senhor com ungüento, e lhe tinha enxugado os pés com os seus cabelos, cujo irmão Lázaro estava enfermo.
Mandaram-lhe, pois, suas irmãs dizer: Senhor, eis que está enfermo aquele que tu amas.
E Jesus, ouvindo isto, disse: Esta enfermidade não é para morte, mas para glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela.
Ora, Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro.
Ouvindo, pois, que estava enfermo, ficou ainda dois dias no lugar onde estava.
Depois disto, disse aos seus discípulos: Vamos outra vez para a Judéia.
Disseram-lhe os discípulos: Rabi, ainda agora os judeus procuravam apedrejar-te, e tornas para lá?
Jesus respondeu: Não há doze horas no dia? Se alguém andar de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo;
Mas, se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz.
Assim falou; e depois disse-lhes: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono.
Disseram, pois, os seus discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo.
Mas Jesus dizia isto da sua morte; eles, porém, cuidavam que falava do repouso do sono.
Então Jesus disse-lhes claramente: Lázaro está morto;
E folgo, por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis; mas vamos ter com ele.
Disse, pois, Tomé, chamado Dídimo, aos condiscípulos: Vamos nós também, para morrermos com ele.
Chegando, pois, Jesus, achou que já havia quatro dias que estava na sepultura.
(Ora Betânia distava de Jerusalém quase quinze estádios. )
E muitos dos judeus tinham ido consolar a Marta e a Maria, acerca de seu irmão.
Ouvindo, pois, Marta que Jesus vinha, saiu-lhe ao encontro; Maria, porém, ficou assentada em casa.
Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.
Mas também agora sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá.
Disse-lhe Jesus: Teu irmão há de ressuscitar.
Disse-lhe Marta: Eu sei que há de ressuscitar na ressurreição do último dia.
Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;
E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto?
Disse-lhe ela: Sim, Senhor, creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo.
E, dito isto, partiu, e chamou em segredo a Maria, sua irmã, dizendo: O Mestre está cá, e chama-te.
Ela, ouvindo isto, levantou-se logo, e foi ter com ele.
(Pois, Jesus ainda não tinha chegado à aldeia, mas estava no lugar onde Marta o encontrara.)
Vendo, pois, os judeus, que estavam com ela em casa e a consolavam, que Maria apressadamente se levantara e saíra, seguiram-na, dizendo: Vai ao sepulcro para chorar ali.
Tendo, pois, Maria chegado aonde Jesus estava, e vendo-o, lançou-se aos seus pés, dizendo-lhe: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.
Jesus pois, quando a viu chorar, e também chorando os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito, e perturbou-se.
E disse: Onde o pusestes? Disseram-lhe: Senhor, vem, e vê.
Jesus chorou.
Disseram, pois, os judeus: Vede como o amava.
E alguns deles disseram: Não podia ele, que abriu os olhos ao cego, fazer também com que este não morresse?
Jesus, pois, movendo-se outra vez muito em si mesmo, veio ao sepulcro; e era uma caverna, e tinha uma pedra posta sobre ela.
Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque é já de quatro dias.
Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?
Tiraram, pois, a pedra de onde o defunto jazia. E Jesus, levantando os olhos para cima, disse: Pai, graças te dou, por me haveres ouvido.
Eu bem sei que sempre me ouves, mas eu disse isto por causa da multidão que está em redor, para que creiam que tu me enviaste.
E, tendo dito isto, clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora.
E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir.
Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo a Maria, e que tinham visto o que Jesus fizera, creram nele.
Mas alguns deles foram ter com os fariseus, e disseram-lhes o que Jesus tinha feito. (João 11.1-46)

Fonte: Bíblia Sagrada
Imagem: Extraida da Internet