sábado, 30 de dezembro de 2017

A vida de Jesus e sua infância



Muito se especula sobre o que aconteceu com Jesus desde o seu nascimento até o tempo do seu ministério, o qual iniciou quando ele já estava com cerca de 30 anos, conforme diz o médico Lucas 3.23. Uns dizem que ele foi para as regiões da India, para uma cidade aonde até hoje se fala aramaico...lingua original de sua região.
Outros dizem que ele estudou um pouco nos templos judeus da época...ele era judeu..e conforme relatos foi para o Egito aonde aprendeu sobre religiões egípcias antigas.

Segundo as Escrituras, Levi Mateus diz que quando José, Maria e Ele, voltaram do Egito por morte de Herodes, o qual mandou matar todas as crianças para acabar com o seu futuro reinado, porque consta nas Escrituras, que ele seria o rei da nação de Israel e de toda terra; quem governava a Judeia nessa época era Arquelau seu filho. E os pais de Jesus temendo que acontecesse algo perigoso para a vida do menino, foram morar nas regiões da Galileia na cidade de Nazaré. (Mateus 2. 22,23) E Jesus só retorna de lá para as bandas do
Jordão quando foi para ser batizado por João o Batista, conforme está registrado em (Mateus 3.13), dando inicio já ao seu ministério.
João Marcos, relata também que Jesus veio da cidade de Nazaré da Galileia para ser batizado por João o Batista, no tempo em que o mesmo batizava no rio Jordão, (Marcos 1. 9).
O médico Lucas, relata que quando Jesus nasceu, e passados os dias da purificação, foi apresentado o menino em Jerusalém ao Senhor, conforme a Lei dizia que fosse apresentado todo primogênito ao Senhor. E cumpridas todas as ordenanças segundo a Lei do Senhor, eles voltaram para a Galileia, para a sua cidade Nazaré, e o menino crescia e se fortalecia enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele.
Diz também Lucas que anualmente seus pais iam adorar em Jerusalém nas festas anuais, e quando Jesus já estava com doze anos, ao voltarem de Jerusalém, deram falta dele nas caravanas, após três dias de caminhada.
Voltando-os até Jerusalém, o encontraram no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os.
Após isso, desceram com Ele novamente para Nazaré da Galileia, e crescia em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens, (Lucas 2.41-52).
Lucas relata que ele só volta a aparecer quando foi para ser batizado por João o Batista, quando inicia seu ministério, com cerca de 30 anos de idade, (Lucas 3.23).
Então como vemos segundo as Escrituras, só pode-se afirmar o que está escrito; o que não está, não têm base bíblica.
Como vemos, o registro dos primeiros anos de vida de Jesus é brevíssimo. Nascido em Belém da Judéia, cidade natal do Rei Davi, ele foi levado para Nazaré, na Galiléia, depois que sua família retornou do Egito — tudo isto em cumprimento de profecias divinas. (Mateus 2:4-6, 14, 15, 19-23; Miquéias 5:2; Oséias 11:1; Isaías 11:1; Jeremias 23:5) O pai adotivo de Jesus, José, era carpinteiro (Mateus 13:55), e, evidentemente, dispunha de poucos recursos. (Lucas 2:22-24) Assim, Jesus, que no primeiro dia de vida como humano dormira num estábulo, evidentemente passou a infância sob circunstâncias bem humildes. Nazaré não tinha destaque histórico, embora ficasse perto de duas importantes rotas comerciais. Talvez fosse olhada com desprezo por muitos judeus. — Compare isso com João 1:46.

Nada se sabe sobre os primeiros anos de vida de Jesus, exceto que “o menino continuava a crescer e a ficar forte, estando cheio de sabedoria, e o favor de Deus continuava com ele”. (Lu 2:40)
Tudo indica que no decorrer do tempo, a família aumentou, à medida que José e Maria tiveram quatro filhos e também filhas. (Mt 13:54-56) Assim, o “primogênito” de Maria (Lu 2:7) não cresceu como filho único. Isto, sem dúvida, explica por que seus pais iniciaram uma viagem de volta de Jerusalém sem se darem conta, por algum tempo, de que Jesus, seu filho mais velho, não estava no grupo. Esta ocasião, da visita que Jesus (aos 12 anos) fez ao templo, quando teve uma palestra com os instrutores judeus, que os deixou pasmados, é o único incidente da parte inicial da sua vida que é relatado com alguns pormenores. A resposta de Jesus a seus pais preocupados, quando conseguiram localizá-lo ali, mostra que Jesus sabia da natureza miraculosa do seu nascimento, e compreendia seu futuro messiânico. (Lu 2:41-52) Razoavelmente, sua mãe e seu pai adotivo lhe haviam transmitido as informações obtidas por meio das visitas angélicas, bem como pelas profecias de Simeão e de Ana, proferidas quando fizeram a primeira viagem a Jerusalém, 40 dias depois do nascimento de Jesus. — Mt 1:20-25; 2:13, 14, 19-21; Luc 1:26-38; 2:8-38.

Não existe nada que indique que Jesus tivesse, ou que exercesse, quaisquer poderes miraculosos durante os anos de sua infância, como afirmam histórias fantasiosas, registradas em certas obras apócrifas, tais como o chamado Evangelho de Tomé. A transformação da água em vinho, em Caná, realizada durante seu ministério, foi o “princípio dos seus sinais”. (Jo 2:1-11) De modo semelhante, enquanto estava com a família em Nazaré, Jesus evidentemente não fez nenhuma exibição ostentosa da sua sabedoria e da sua superioridade como humano perfeito, como talvez indique o fato de que seus meios-irmãos não exerceram fé nele durante o ministério dele qual humano, bem como a descrença que a maioria da população de Nazaré mostrou para com ele. — Jo 7:1-5; Mr 6:1, 4-6.

Todavia, Jesus, evidentemente, era alguém bem conhecido pelo povo de Nazaré (Mt 13:54-56; Luc 4:22); suas qualidades e sua personalidade esplêndidas certamente devem ter sido notadas, pelo menos por parte dos que apreciavam a justiça e a bondade. (Veja Mt 3:13, 14.) Ele freqüentava os serviços na sinagoga todo sábado. Era instruído, conforme demonstrado por sua habilidade de encontrar e ler trechos dos Escritos Sagrados, mas não cursou escolas rabínicas de “estudos superiores”. — Luc 4:16; Jo 7:14-16.

A brevidade do registro a respeito destes primeiros anos de sua vida se deve a que Jesus ainda não tinha sido ungido por Deus como “o Cristo” (Mt 16:16) e não havia começado a cumprir a designação divina que o aguardava. Sua infância e seu desenvolvimento, assim como seu nascimento, eram necessários, embora incidentais, para atingir um objetivo. Conforme Jesus declarou mais tarde ao governador romano, Pilatos: “Para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade.” — Jo 18:37.

Fontes: Biblia Sagrada e pesquisa realizada na Internet.
Imagens: Extraída da Internet