quinta-feira, 12 de julho de 2018

Sem comunicação


Está escrito na palavra de Deus que não há comunicação entre almas e mundo físico.
Há quem afirme haver, mas é apenas suposições; nada que prove efetivamente.
Os adeptos do espiritismo, crêem firmemente, mas baseados na crença de seu líder Alan Kardec, que nem mesmo ele tinha a certeza absoluta, pois pesquisava fenômenos ocultistas, de origem estranhas que não são oriundas da parte de Deus.
O que é da parte de Deus, não causa medo; mas paz. Não é ocultismo; mas a luz da verdade, as claras.
Não se equivoca, nem supõe-se; mas trabalha com a verdade. Porque a Verdade é Cristo. Está escrito e Ele disse: Eu sou a Verdade, e quem crê em mim não andará em trevas.

Quem pende para o lado ocultista, trabalha com o medo, com coisas que causam temor, pavor, repugnância, trevas, algo sombrio, frio, baixo; por mais que fale na palavra deus, não é o Deus Vivo o Deus Criador. Pois nele não há treva alguma.
O que circula no meio de seções espíritas, mesas brancas, pretas, ocultismo em geral provém do poder das trevas, porque  da parte de Deus não procede como vemos nas Escrituras.
Na palavra de Deus diz e foi dito por Jesus que morreu um homem rico que se regalava nas suas riquezas; e morreu um homem pobre que vivia a mendigar os farelos de migalhas da mesa do rico.
O pobre quando morreu, os anjos de Deus o levaram para os céus, para o seio de Abraão.
O rico  quando morreu, foi enterrado, sepultado e sua alma foi para o inferno.
Lá do inferno ele levanta a vista e vê o mendigo com Abraão nos céus e pede que o mendigo molhe o dedo na língua e o envie para ele se refrescar do calor escaldante e insuportável do inferno. Mas recebe a resposta que ele tinha recebido seus regalos e riquezas em vida, enquanto que o mendigo Lázaro os males, e agora Lázaro desfrutava da sua riqueza espiritual com o Pai e ele das penalidades com o diabo.
E que era impossível isso ser feito, uma vez que existia um grande abismo de forma que; quem estava no céu não podia passar para o inferno, nem vice versa.
O rico implora novamente para Lázaro ir à terra avisar aos seus cinco irmãos que procedam bem e com honestidade, para que quando morressem não fossem para o mesmo lugar que ele estava. Novamente vem a resposta que eles ouvissem a Palavra de Deus que estava na terra. Mas o rico insiste em dizer que se alguém que já morreu fosse até a terra se comunicar com seus irmãos, eles iriam crer e procediam justamente para serem salvos daquele lugar em que ele se encontrava. Mais uma vez ouvem a resposta que, mesmo que alguém venha a ressuscitar eles não iriam ser persuadido, pois não ouviam o evangelho que estava sendo pregado e ensinado pelos profetas.
A conclusão que chegamos é que quando o justo morre sua alma vai para o céu e de lá não sai para missão alguma.
E que a alma do injusto descrente, rico e arrogante quando morre, vai para o inferno e de lá também não sai para missão alguma, nem reencarna, pois se assim fosse, o rico não precisava apelar para Abraão, pois ele mesmo tendo seu livre arbítrio jamais iria para um lugar de tormento, nem precisava apelar para terceiros irem falar com seus irmãos. Ele mesmo iria os orientar para um lugar de ostentação.
Assim diz a palavra de Deus:
Ora, havia certo homem rico que se vestia de púrpura e de linho finíssimo e que, todos os dias, se regalava esplendidamente.  Havia também certo mendigo, chamado Lázaro, coberto de chagas, que jazia à porta daquele;  e desejava alimentar-se das migalhas que caíam da mesa do rico; e até os cães vinham lamber-lhe as úlceras.  Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico e foi sepultado.  No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio.  Então, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim! E manda a Lázaro que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama.  Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro igualmente, os males; agora, porém, aqui, ele está consolado; tu, em tormentos.  E, além de tudo, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que querem passar daqui para vós outros não podem, nem os de lá passar para nós.  Então, replicou: Pai, eu te imploro que o mandes à minha casa paterna,  porque tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de não virem também para este lugar de tormento.  Respondeu Abraão: Eles têm Moisés e os Profetas; ouçam-nos.  Mas ele insistiu: Não, pai Abraão; se alguém dentre os mortos for ter com eles, arrepender-se-ão.  Abraão, porém, lhe respondeu: Se não ouvem a Moisés e aos Profetas, tampouco se deixarão persuadir, ainda que ressuscite alguém dentre os mortos. (Lucas 16:19‭-‬31)

Fonte: Bíblia Sagrada
Imagem: Extraída da Internet